Horário de Atendimento:

8:00h - 20:00h

  • pt-br

Telefone:

(11) 5573-1970

Cuidados com a Voz

Semana da Voz 2019 – Conheça os Principais Cuidados com a Voz

Abril é o mês em que celebramos a voz humana como um recurso único para a humanidade. Cada país pode fazer escolhas diferentes sobre como abordar esse evento, com muitas atividades diferentes, desde performances artísticas até eventos de melhoria da saúde. A maioria das atividades do Dia Mundial da Voz acontece no dia 16 de abril, mas muitos eventos se estendem por toda a semana ou até mesmo durante todo o mês. Aproveitando esta mobilização, estamos promovendo em nossos sites e mídias sociais a Semana da Voz, com dicas e orientações de cuidados com a voz.

Principais Cuidados com a Voz

O Dr. José Antônio Pinto, ex-presidente da ABVL, chefe do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital e Maternidade São Camilo e especialista dos hospitais Albert Einstein e Oswaldo Cruz, fala sobre os problemas que podem afetar a voz humana – e o carinho que devemos ter com ela.

Sintomas como dor de garganta e rouquidão persistente, alteração na qualidade da voz, dificuldade de engolir e sensação de um caroço na garganta merecem investigação médica.

Esse é o começo de uma necessária conscientização da população brasileira sobre a importância da voz, suas alterações e cuidados que ela merece. “Alertando e orientando a sociedade para os cuidados com a voz, estamos prevenindo seus problemas e preservando o mais importante meio de comunicação da espécie humana e o instrumento de trabalho da maioria de nossa população” diz o Dr. José Antônio Pinto.

O que Pode Prejudicar a Voz?

Câncer de Laringe

O câncer de laringe, ou das cordas vocais, evidentemente é o mais grave distúrbio que pode acometer a voz, mas outras alterações vocais podem afetar nosso desempenho social e profissional. “Toda voz de qualidade ruim altera a qualidade de vida, de um modo ou de outro”.

Ele reforça a recomendação de que toda rouquidão que persista por mais de 15 dias deve ser investigada. Os especialistas têm hoje inúmeros recursos para visualizar diretamente o aparelho vocal, em busca de pólipos, tumores, focos hemorrágicos. Fibras ópticas e telescópios chegam diretamente ao local, pela boca ou pelo nariz, dando ao médico a oportunidade de registrar, em vídeo, tudo o que foi encontrado.

Pode ser, por exemplo, uma lesão precursora do câncer de laringe – uma leucoplasia, uma “nata de leite” sobre a corda vocal. Ou a formação de uma película sobre as cordas vocais que as faz perder a capacidade de vibração. Tudo isso altera a qualidade da voz – e a alteração vocal deve servir como um indício do problema. O Dr. José Antônio Pinto diz que os tumores da laringe podem ser considerados como uma doença social. Entre suas causas principais, estão o abuso de álcool, o refluxo gástrico (que pode ser atribuído a maus hábitos alimentares) e, sobretudo, ao tabagismo: 90% dos portadores de câncer na laringe são fumantes.

Como se vê, o câncer de laringe, se não pode ser inteiramente prevenido, tem causas que podem ser evitadas com bons hábitos de vida. Mas mesmo que isso não ocorra, o diagnóstico precoce faz toda a diferença. Quando a lesão está em seus estágios iniciais, a remoção do tumor pode ser feita por meio de cirurgia endoscópica a laser, com um mínimo de trauma. O paciente se interna de manhã e é liberado a tarde. E, o mais importante, como destaca o Dr. José Antônio Pinto: preservando a voz.

Mesmo quando o tumor já está mais avançado, a manutenção das cordas vocais e, consequentemente, da voz, pode ser alcançada – mas aí com um prognóstico mais reservado. Resumindo: pessoas com rouquidão persistente ou algum dos sintomas descritos acima não devem temer o diagnóstico e o tratamento, que no passado era mutilante. Pelo contrário: o diagnóstico precoce significa manter a voz. Nas campanhas da voz, 25% dos pacientes examinados, em média, costuma apresentar alterações objetivas no exame da laringe, variando de lesões benignas a lesões malignas iniciais.

Calos e Abuso Vocal

Evidentemente, nem toda lesão de cordas vocais é câncer. Os chamados calos vocais são lesões produzidas por abuso vocal.

Como explica o Dr. José Antônio Pinto, o uso da voz num tom muito acima do normal é a principal causa dos calos. Isso afeta, geralmente, pessoas que usam a voz profissionalmente, muitas horas por dia – como professores, leiloeiros, locutores. Ou mesmo pessoas que simplesmente falam acima do tom – gritando ou se alterando com frequência.

“A voz é um instrumento humano maravilhoso, mas é preciso saber usar”. Nessas situações, uma reeducação foniátrica – a cargo de um fonoaudiólogo – pode ser indicada para não gerar lesões mais complexas.

Pigarros insistentes, às vezes até por tique nervoso ou maneirismo, também podem produzir lesões nas cordas vocais. Eles provocam os chamados “golpes de glote” – um choque brusco nas cordas vocais que, em certas situações, pode ser causado também por refluxo gástrico. Em vez de pigarro, o médico recomenda: “Tome um copo d’água, respire fundo”. Aliás, tomar bastante líquido é uma recomendação genérica que também é feita pelos laringologistas.

Outros Inimigos da Laringe

Ar-condicionado, que resseca vias aéreas, e bebidas excessivamente geladas, que produzem choque térmico podem ser prejudiciais. É claro que há pessoas mais sensíveis a esses dois fatores – em outras, elas não têm nenhuma repercussão vocal. É uma questão de conhecer seu próprio organismo.

E as “pastilhas de garganta”? Segundo o Dr. José Antônio, em geral esses produtos não alcançam a laringe e as cordas vocais, embora possam até amenizar uma “dor de garganta”. Nesse particular, inaladores de vapor teriam melhor efeito anti ressecamento.

E as bebidas alcoólicas? Uma boa dose de conhaque não seria um “santo remédio” para “limpar a garganta”? Claro que não, diz o Dr. José Antônio. “O álcool pode relaxar a garganta no momento que entra na boca. Depois, porém, produz um edema na corda vocal”. Não é à toa que o fumo e o álcool, nessa ordem, sejam os principais inimigos da voz.

O Dia Mundial da Voz

Em 1999, alguns médicos se reuniram em São Paulo com uma preocupação: o câncer de laringe, que vitimava 15 mil brasileiros por ano, sendo 8 mil casos fatais. Além disso, as chamadas doenças vocais eram desconhecidas da maioria das pessoas. Seria necessário difundir mais conhecimentos sobre os cuidados com a voz, para evitar problemas como estes.

Diante desse quadro, os médicos da atual ABLV (Academia Brasileira de Laringologia e Voz) lançaram a Campanha Nacional da Voz, um programa de orientação, informação e, principalmente, respeito pela voz, instrumento de trabalho de 70% dos brasileiros.

Desde então, todos os anos, no Dia Mundial da Voz, 16 de abril, os especialistas atendem cerca de 40 mil pessoas em todo o país, orientando e até detectando doenças relacionadas a nosso aparelho vocal.

A Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, através do seu Comitê de Voz, trabalhou para criar uma equipe para escolher o tema da campanha no ano de 2019. Após discussão e reflexão, a frase que está sendo adotada para como slogan para o dia da voz é: “Seja amigo da sua voz!”

Artigo Publicado em: 9 de maio de 2018 e Atualizado em 17 de abril de 2019

 

O que é Disfonia

O que é Disfonia e Quais São as suas Causas?

Você sabe o que é disfonia? O termo abrange qualquer complicação na emissão vocal que impeça ou dificulte a produção natural da voz. Trata-se de um sintoma presente em vários distúrbios vocais, que se manifesta ora como principal, ora como secundário. Os distúrbios vocais provocam limitações de ordem física, emocional e profissional nos pacientes.

Saiba mais sobre este distúrbio, suas causas e formas de tratamento, com a leitura deste artigo.

O que é Disfonia

A manifestação da disfonia se dá por meio de uma série de alterações, tais como: esforço para emitir a voz, cansaço ao falar, dificuldade em manter a voz, rouquidão, variações na frequência habitual da voz, falta de volume e projeção, pouca resistência ao falar e perda da eficiência vocal.

O que é Disfonia – Categorias Etiológicas

A disfonia é classificada como um sintoma que compõe o quadro de distúrbios da voz, e não como uma doença. As disfonias são divididas em três categorias etiológicas:

Disfonia Orgânica

A disfonia orgânica pode ser provocada por diversos fatores, e tem impacto direto sobre a voz. Alguns exemplos são: alterações vocais devido a neoplasias da laringe, doenças neurológicas, inflamações ou infecções agudas associadas a gripes, laringites e faringites.

Disfonia Funcional

A disfonia funcional trata-se de um distúrbio do comportamento vocal, ou seja, uma alteração provocada pelo próprio uso da voz. Pode ser decorrente do uso inadequado/abusivo da voz, inadaptações vocais e alterações psicogênicas.

Disfonia Organofuncional

A disfonia organofuncional é uma lesão estrutural benigna localizada nas pregas vocais, secundária ao comportamento inadequado ou alterado da voz. Geralmente, é consequência de uma disfonia funcional não tratada.

O que é Disfonia – Tipos de Lesões

As disfonias funcionais muitas vezes resultam em lesões orgânicas, tais como: nódulos, pólipos e edemas localizados nas pregas vocais.

Ambas alterações têm em comum o fato de apresentarem uma resposta inflamatória a agentes agressivos, sejam eles de natureza externa ou apenas consequências do mau uso da voz.

Nódulos

Os nódulos são decorrentes de fatores anatômicos predisponentes, fatores de personalidade (como ansiedade, perfeccionismo ou agressividade) e de comportamento vocal incorreto (uso excessivo e/ou abusivo da voz). Geralmente, o tratamento dos nódulos se dá através da fonoterapia, salvo alguns casos de indicação cirúrgica.

Pólipos

Os pólipos caracterizam-se por inflamações de aparência vascularizada, decorrentes de traumas em regiões mais profundas da lâmina da própria laringe. O paciente que sofre da condição apresenta rouquidão.

As causas mais comuns são: abuso vocal, agentes irritantes, alergias, infecções agudas, entre outras. O tratamento é cirúrgico.

Edemas das Pregas Vocais

Os edemas das pregas vocais, geralmente localizados e agudos, têm relação com o comportamento vocal (uso excessivo e/ou abusivo da voz). É encontrado principalmente em pessoas expostas a fatores irritantes externos, como o tabagismo.

O tratamento dos edemas discretos é medicamentoso, fonoterápico ou através de repouso da voz. Quando o edema é volumoso, requer intervenção cirúrgica para remoção, seguida de reabilitação fonoaudiológica.

Infecções

Fatores infecciosos, incluindo as sinusites, diminuem a ressonância vocal e causam alterações na função respiratória, provocando modificações na voz.

As infecções podem ser causadas por fatores imunológicos, endócrinos, auditivos e emocionais, capazes de alterar a emissão vocal.

De início, as infecções das vias aéreas superiores impactam diretamente sobre a faringe e a laringe, podendo causar irritação e edema das pregas vocais. A evolução desses processos infecciosos podem culminar em atividades danosas (como a tosse), que geram traumatismo nas pregas vocais.

Laringite Crônica

A laringite crônica trata-se do resultado do agravamento das irritações crônicas desta região. Os sintomas mais comuns são: rouquidão, tosse, sensação de corpo estranho na garganta, secreção, pigarro e dor de garganta.

O tratamento se dá através da eliminação de fatores que provocam irritação à laringe e da mudança de hábitos, como melhorar a higiene vocal e evitar o abuso de voz.

O que é Disfonia – Buscando Ajuda Médica

Os especialistas responsáveis pela avaliação e pelo tratamento da disfonia são o fonoaudiólogo ou o otorrinolaringologista.

É evidente a necessidade da criação de políticas voltadas à prevenção do surgimento de disfonias, através do desenvolvimento de programas de saúde vocal, visando ações educativas voltadas à utilização correta da voz, orientação de cuidados vocais e outras informações sobre a saúde vocal – especialmente aos profissionais que fazem uso constante da voz.

Medidas de prevenção sempre são o melhor tratamento: esteja sempre alerta à sua saúde vocal e mantenha um acompanhamento médico regular, assim como bons hábitos de comportamento e de higiene vocal.

Artigo Publicado em 04 de abril de 2018 e Atualizado em 27 de fevereiro de 2019

Se trata de uma plataforma moderada por Dr. Arturo Frick Carpes, Dr. José Antonio Pinto e Dra. Heloisa dos Santos. Todos os moderadores citados são responsáveis pela produção, edição, adaptação e curadoria dos textos presentes neste site, além de sua manutenção financeira. Este site é orientado ao público leigo e seu conteúdo é somente de intento informativo e pode não ser adequado a todos usuários. O conteúdo deste site não substitui o médico. Todos devem sempre consultar seu médico antes de tomar qualquer decisão com respeito à sua saúde. Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie. Este site não hospeda ou recebe financiamento de publicidade ou exibição de conteúdo comercial. Política de Banners: Não temos publicidade e não fazemos trocas de Banner ou Display. Missão Do Site: prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade.Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada. Os comentários são visíveis a todos. Podem ser alterados ou apagados.